Buscar
  • TERA Engenharia

O impacto da EJ no perfil do profissional de engenharia

O programa A Nova Transformação da Educação em Engenharia (NEET) lançado em 2017 pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT) tem como objetivo transformar e inovar o ensino de engenharia. O seu foco é cultivar a aprendizagem integrativa e centrada em projetos, além de impulsionar as habilidades e conhecimentos dos profissionais em ascensão para enfrentar os desafios climáticos, econômicos e sociais do século XXI.

O programa publicou o relatório O estado da arte global de educação em engenharia (do inglês, The global state of the art in engineering education), em 2018, sobre as iniciativas ao redor do mundo na educação de engenheiros e como inovar a partir de ações e recomendações das instituições líderes nos programas de engenharia do mundo. O documento apresenta entrevistas com mais de 170 indivíduos que possuem conhecimento na área e vasta experiência nas melhores instituições mundiais de Engenharia, além disso há vários panoramas descrevendo como o estado da arte do ensino provavelmente irá se desenvolver no futuro.

Notam-se algumas tendências relacionadas ao ensino como a inclinação da liderança global para a educação em engenharia e a mesma atuando como incubadora para o talento empreendedor de base tecnológica dos estudantes. Evidências são apresentadas no estudo que demonstram o surgimento de uma nova geração de líderes mundiais que impulsionará o crescimento econômico nacional e global, através de investimentos estratégicos do governo em educação de engenheiros. Assim, os novos currículos de engenharia apresentarão uma mudança significativa e se tornarão socialmente relevantes, voltados para a resolução de problemas, para o exterior da instituição de ensino e serão integrados e centrados no aluno em escala.

Nesse contexto, a vivência empresarial fornecida pela Empresa Júnior Tera Engenharia pode contribuir com o perfil dos estudantes e gerar o resultado esperado das atribuições necessárias do profissional de engenharia. Capacitando os discentes para perceber, definir, analisar problemas e formular soluções através do trabalho em equipe.

Realizou-se um estudo de caráter qualitativo com os estudantes dos cursos de Engenharia Elétrica e de Engenharia de Controle e Automação da UTFPR para entender quais seriam as contribuições que a experiência com o Movimento Empresa Júnior (MEJ) poderia gerar na formação do profissional de engenharia. Dentre as perguntas realizadas no estudo, a que mais chamou a atenção foi a respeito das características principais que moldarão o profissional do futuro, segundo dados de 2018 do World Economic Forum. São elas:

  • Pensamento analítico e inovação – azul;

  • Aprendizado ativo e estratégias de aprendizado – vermelho;

  • Criatividade, originalidade e iniciativa – amarelo;

  • Design tecnológico e programação – verde escuro;

  • Pensamento crítico e análises – roxo;

  • Complexo de solução de problemas – azul claro;

  • Liderança e influência social – rosa;

  • Inteligência emocional – verde musgo;

  • Raciocínio, resolução de problemas e ideação – bordô;

  • Análise e avaliação de sistemas – azul grafite.

Assim, solicitou-se aos estudantes que assinalassem quais características eles possuíam e como consideravam que haviam sido capacitados. Para o grupo de membros da Tera Engenharia, três opções eram fornecidas: grade curricular, Tera Engenharia e outras formas. Para o grupo controle de estudantes sem participação no MEJ, havia somente duas opções: grade curricular e outras formas.


Figura 1 – Características do profissional do futuro – Grupo Tera Engenharia.


Nota-se que para o grupo da Tera Engenharia, a grande maioria dos entrevistados considera que foram capacitados e desenvolveram suas características pela sua experiência com a Tera, com destaque para quatro itens: pensamento analítico e inovação; criatividade, originalidade e iniciativa; liderança e influência social; e raciocínio, resolução de problemas e ideação. Enquanto no grupo controle, é possível notar uma menor adesão das características e uma divisão mais distribuída entre as opções, com destaque para criatividade, originalidade e iniciativa e inteligência emocional, consideradas obtidas através de outras formas de capacitação, e, por fim, raciocínio, resolução de problemas e ideação através do currículo do curso.


Figura 2 – Características do profissional do futuro – Grupo controle.


A diferença de atribuições entre os estudantes já mostra que os que participam ou participaram da Empresa Júnior Tera Engenharia possuem uma ampla visão do mercado de engenharia, obtendo experiência profissional em mais de uma área do mercado, além de aprimorar as soft e hard skills necessárias para o profissional do futuro. O estudante desenvolve um contato com o empreendedorismo, aprendendo na prática como empreender e vislumbrando outros caminhos para o seu futuro profissional. Como apresentado pelo relatório do NEET, o talento empreendedor será essencial no futuro e a inovação no ensino de engenharia tende a abordar essa esfera cada vez mais, ou seja, a experiência extracurricular no ensino de engenharia deveria ser incorporada pelos discentes e ser incentivada pelos docentes cada vez mais, buscando a inovação do ensino em uma nova abordagem de resolução de problemas reais do mercado e da sociedade.




63 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo