Buscar

Indústria 4.0

As novas tecnologias da Indústria 4.0 são capazes de conectar pessoas, equipamentos, máquinas e robôs, bem como sistemas de qualidade assegurada, rastreabilidade e error proofing (à prova de erros). Usa da Industrial Internet Of things (IoT – Internet Industrial das Coisas) para conectar o chão de fábrica e integrar toda a linha de montagem a sistemas superiores de controle e interpretação de dados. Desta maneira, todos os componentes da fábrica enviam e recebem dados, permitindo que os sistemas da linha de montagem inteligente recebam e analisem um grande fluxo de informações. A tomada de decisões é fundamentada em sistemas de Big Date Analytics, onde se tem a principal vantagem da IoT, produtos e equipamentos comunicam-se entre si, conduzindo processos por meio de troca de informações e instruções em tempo real, ou seja, produção e logística trabalham em conjunto.

Os princípios da indústria 4.0


Tempo Real: Capacidade de coletar e tratar informações de forma instantânea, permitindo uma tomada de decisão em tempo real e qualificada.


Virtualização: Cópia virtual da fábrica, feita com a locação de sensores espalhados por toda a planta, permitindo a rastreabilidade e monitoramento remoto de todos os processos.


Descentralização: A máquina é responsável por tomar as decisões, graças à sua capacidade de se auto ajustar, avaliar as necessidades da fábrica em tempo real e fornecer informações sobre o seu ciclo de trabalho.


Interoperabilidade: Comunicação entre máquinas e sistemas, conceito do Internet das Coisas (IoT).


Orientação a serviços: Os softwares são orientados a disponibilizarem soluções como serviços. De forma que seja possível conectar toda a indústria em um só ponto.


Modularidade: Possibilidade da flexibilização da produção com acoples de módulos, conforme a necessidade da fábrica.


Pilares da Indústria 4.0


Internet das coisas: Conhecida pela siga IoT (Internet of Things) trata de um conceito de conexão de aparelhos físicos à rede. É utilizado tanto em residências (televisão, ar condicionado, geladeira etc.) quanto nas indústrias, com a conexão de máquinas à rede, gerando relatórios instantâneos de produção para os softwares de gestão na nuvem.


Big Date: É o coração da IoT, onde é feito o processamento de uma grande quantidade de informações levantada pelos sensores das máquinas, no caso da indústria, na qual essas informações são processadas e armazenadas em nuvem.


Inteligência Artificial: Agora que já apresentamos a IoT e o Big Date, apresentaremos a chave essencial para que todo esse processo entre no que chamamos de Industria 4.0. Esta chave é a inteligência artificial, a qual analisa todas as informações levantadas do chão de fábrica e as decisões sem a interferência humana.


Impactos Positivos da Indústria 4.0

Visando a parte de produção, sem dúvidas a indústria 4.0 é a uma das melhores maneiras de tratar com toda essa transição de dados de uma forma dinâmica e autônoma. Ressaltamos o fato de que para se adequar a esta nova realidade, é necessário realizar um planejamento e o gestor da empresa precisa ter uma visão estratégica dos negócios. Com o investimento na modernização dos processos industriais, a empresa terá uma grande economia com os custos de produção, aumento na produtividade, possibilidade de produção em customizada em larga escala e maior controle acerca do que se acontece com o “chão de fábrica”, ou seja, há como prever o que vai acontecer antes da linha de produção parar.


Impactos Negativos da Indústria 4.0

Um dos impactos negativos da indústria 4.0 são os ciber ataques, chamados de espionagem industrial. Como os dados da empresa ficam conectados na internet, ela fica sujeita à espionagem industrial, que visa roubar as informações da empresa para utilizar em seus próprios processos produtivos ou vender a informação para concorrentes. Outro ponto preocupante também é a respeito do uso da IA (inteligência artificial) para a disseminação de fake News, disputas comerciais e até mesmo em golpes. Entretanto, o mais preocupante dos impactos negativos está diretamente relacionado com o mercado de trabalho: a substituição de mão de obra por softwares e sistemas.


Realidade no Brasil

De acordo com o artigo do empreendedor Endeavor José Rizzo, publicado no site administradores.com, Rizzo ressalta que grande parte da indústria brasileira está na transição da indústria 2.0 para a 3.0, o que para ele, não é um mau sinal pois poderíamos “cortar alguns passos” para adaptar as empresas para a indústria 4.0.

Mas afinal, por que é tão difícil a adaptação para a indústria brasileira? Mesmo com a possibilidades de cortar alguns passos para adentrar na indústria 4.0, ainda temos alguns desafios pela frente, um deles é o índice de desenvolvimento tecnológico nacional. O Brasil ainda precisa avançar, e muito, no nível tecnológico adotado nas indústrias para conseguir entrar de vez na Indústria 4.0. Outro ponto que impossibilita muitas empresas é a dificuldade de financiamento, devido a elevadas taxas de juros, o que impede o investimento em equipamentos que suportem as necessidades da indústria .4.0.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo