Buscar
  • TERA Engenharia

Automação Residencial e Casas Conectadas (Parte 2)

Hoje vamos falar mais um pouco sobre a automação residencial e como ela pode fazer você ganhar tem ou ter comodidades no dia a dia. O tema vai mesclar a iluminação com a automação.


Como falamos no texto anterior temos um princípio de automação em nossos bolsos, mas para uma real automatização da casa são necessários dispositivos automatizados. Quando se trata de iluminação as possibilidades são inúmeras, indo desde opção acessíveis a até sistemas de maior investimento, sendo que muitas vezes o preço não influi na qualidade dos produtos, mas sim nas comodidades que ele pode de proporcionar.


Para automatizar a casa, junto do projeto luminotécnico, podemos prever cenas que serão ativados ao toque de uma tecla numa central, em interruptores mais elaborados que fornecem essa opção, num aplicativo ou por comandos de voz. Essas cenas pensadas no projeto luminotécnico nada mais é do que a ativação e a desativação dos circuitos do ambiente, permitindo que ao invés de ter que ativar ou desativar inúmeros interruptores você acione apenas um.


Para tal finalidades precisaremos dos dispositivos conectados. Temos as centrais de automação residencial que reúnem além da iluminação outros sistemas, temos as lâmpadas inteligentes e os interruptores inteligentes.


As centrais de automação são dispositivos fornecidos por empresas de automação onde se concentra o comando de todas as funções automatizadas, essas centrais possuem telas, que podem ser fixas ou destacáveis como um tablet, muitas possuem aplicativos para controle por tablet ou celular e permitem a integração com assistentes pessoais. Essas centrais são dispositivos robustos que irão controlar todos os sistemas automatizados que aceitar num mesmo ecossistema centralizado.



Uma opção são as lâmpadas inteligentes, elas podem ser controladas por meio de aplicativos. Alguns sistemas possuem um HUB central onde todas as lâmpadas se conectam a ele, que estará conectado por bluetooth, rede wifi ou cabo de internet de acordo com as opções de cada sistema. Outras opções tem a conexão da lâmpada diretamente com o wifi ou bluetooth, isso implica que é necessário utilizar um ou mais roteadores wifi com grande capacidade de conexão, pois nesse tipo de sistema se você tem 30 lâmpadas terá 30 dispositivos conectados à sua rede, em contrapartida o sistema que utiliza o HUB, também chamado de bridge (ponte) terá apenas 1 dispositivo conectado a sua rede.


Além da questão da conectividade, as lâmpadas inteligentes podem ter variação quanto à cor, podendo ser branca de temperatura fixa, colorida (RGB) ou branco com variação de temperatura. As do tipo RBG permitem uma infinidade de cores, incluindo as diversas variações de temperatura de branco enquanto as brancas com variação de temperatura permitem apenas que escolha a temperatura cor, indo do branco quente, mais cálido e amarelado, passando pelo branco neutro e indo até o branco frio, mais azulado. Mas não se preocupe sobre a temperatura de cor, em outra postagem sobre iluminação residencial e projeto luminotécnico vamos falar sobre o tema e explicar qual é o uso apropriado de cada temperatura de cor branca.


As lâmpadas inteligentes fornecem uma vasta lista de opção ao cliente, como a Philips HUE que possui um sistema de bridge e uma variedade enorme de opções de lâmpadas e fitas de led, porém com preço elevado no Brasil. Temos a opção nacional fornecida pela positivo, que tem lâmpadas do tipo bulbo e dicróica, sendo a primeira com a opção de escolha de temperatura de cor; esse sistema tem a vantagem de ter outros dispositivos conectados que são integrados no aplicativo da marca. Uma opção importada é a XIAOMI, que através do sistema yeelight fornece lâmpadas brancas e coloridas, fitas led RGB, uma infinidade de luminárias de mesa com branco variável, fixo e algumas coloridas, além das opções de paflons, arandelas e uma infinidade de produtos, os quais podem ser controlados por meio do aplicativo. A marca é citada como importada, pois a representante no brasil fornece apenas poucas opções de dispositivos inteligentes de iluminação.

Além das marcas citadas existem diversas disponíveis nacionalmente ou por importação. O uso de lâmpadas conectadas tem a vantagem da fácil instalação, pois basta conectar o dispositivo ao bocal de iluminação e iligar o interruptor. Rapidamente você irá configurar o sistema e utilizar. As desvantagens desse sistema é que caso a iluminação seja ativada pelo circuito você não irá conseguir ligar pelo aplicativo, sendo necessário o acionamento da tecla do circuito, mas o principal problema em desligar no interrupto é o fato de alguns sistemas necessitarem serem configurados novamente, pois os dispositivos resetam com a interrupção do fornecimento de energia. Além disso um grande problema é que mesmo as lâmpadas de LED tendo uma longa vida útil, quando se encerra esse tempo de uso ou por algum problema o dispositivo quebra é necessário a substituição por outro também inteligente, por conta disso a próxima opção pode ser mais interessante em alguns casos.

Os interruptores inteligentes são uma opção mais durável e robusta, eles são basicamente relés eletrônicos controlados por meio da interface de comando ou por aplicativos. A instalação deste tipo de dispositivo tem a desvantagem de necessitar de alterações na rede elétrica, pois além da fiação utilizada em interruptores comuns é necessário levar fios terra e neutro até o interruptor inteligente, enquanto os analógicos possuem apenas a fase e os retornos. A vantagem deste tipo de sistema é que caso alguma lâmpada seja danifica ou queime você poderá facilmente substituir por outra lâmpada comum, de menor valor e amplamente disponível no mercado e manter a automação, bem como nas centrais. Além disso uma limitação das lâmpadas inteligentes é a pouca variedade de lâmpadas que pode limitar projetos luminotécnicos; ao utilizar interruptores smart é possível utilizar toda a variedade de tipos de lâmpada, soquete e formatos. É possível encontrar diversas opções de interruptores inteligentes, com alternativas nacionais ou importadas.


As lâmpadas inteligentes permitem, em muitos casos, além da escolha da cor a dimerização da iluminação, em contrapartida alguns sistemas de interruptores inteligentes permitem a dimerização da iluminação com lâmpadas compatíveis, porém sem optar pela cor ou temperatura de branco. Algumas centrais de controle permitem além da dimerização a escolha de cor com fitas RGB específicas e compatíveis.

Vale ressaltar que muitos aplicativos de lâmpadas e interruptores inteligentes possuem versão em português, não limitando o uso a quem não sabe outro idioma. Além disso a maioria dos sistemas podem ser integrados à assistentes pessoais!

Conta para a gente o que achou e se ficou com vontade de automatizar a iluminação da sua casa! Caso tenha alguma dúvida ou sugestão de tema basta comentar ou entrar em contato conosco pela página de contato ou nas redes sociais da TERA.


#TERA #tera #teraengenharia #automação #automaçãoresidencial #iluminação #iluminacao #projetoiluminacao #automatizaçãoiluminação #automatizacaoiluminacao #automaçãoluminotecnico

#UTFPR #engenharia #engenhariaeletrica #engenhariacontroleeautomação #engenhariaautomação #engenhariautfpr #empresajr #EJ #fejepar #emprejrsafederada


31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo