Buscar
  • TERA Engenharia

Análise de Tarifas

Acredito que todos já se depararam com a necessidade de reduzir seus gastos operacionais, principalmente quando olhamos aquela conta de energia elétrica com um preço além do que esperávamos. E como sempre, a primeira pergunta que vem à mente é “Como posso passar a consumir menos energia?”, mas e se eu te disser que a forma como você contrata a energia também pode aliviar seu bolso, você acreditaria?

Conceitualmente, o processo de Análise de Tarifas observa os parâmetros de tarifação para ver se eles estão de fato de acordo com as necessidades de determinado estabelecimento, e a partir daí, cogita-se o estudo para uma melhor adequação das tarifas ou não, caso já esteja bem adequada.

Primeiramente, é muito importante entendermos que existe uma diferenciação na unidade consumidora, existe o grupo A e o grupo B. O grupo A é aquele que atende faixas de tensão acima de 2.300 volts, o que no geral, diz respeito a indústrias e comércios de grande porte; já o grupo B é aquele que atende faixas de tensão de até 2.300 volts, que engloba as residências num geral.

A tarifação do Grupo B é feita da forma padrão, pagando por (kWh) consumido mais as taxas de impostos e bandeiras tarifárias. Agora, em relação ao grupo A, a tarifação é feita em cima do (kWh) consumido mais a demanda contratada.

A demanda contratada é um valor de potência fornecido constantemente pela fornecedora, ou seja, é o valor de demanda de energia que a unidade consumidora vai utilizar de acordo com sua necessidade de energia elétrica.

Outro ponto importante a ser considerado, são as estruturas tarifárias, que é caracterizada pela aplicação de tarifas de consumo de energia elétrica.

As estruturas tarifárias são divididas em:


-Convencional


-Horária Branca


-Horo – Sazonal Verde


-Horo – Sazonal Azul


-Horário de Ponta e Fora Ponta


E é aí que entra a questão central, a demanda contratada e a estrutura tarifária podem ser suas vilãs ou suas heroínas na hora de receber o valor da conta de energia. Pois por exemplo, caso você contrate uma demanda abaixo da sua necessidade, você terá que pagar uma multa em cima do valor que ultrapassou essa demanda, e isso não fica nada barato. Em contrapartida, caso você contrate uma demanda muito acima da sua necessidade, você estará pagando por uma coisa que não está utilizando por completo.

Assim, para que nenhum dos dois casos citados acima aconteça e para que você possa ter o melhor aproveitamento da demanda e das estruturas tarifárias, além de ter o preço justo para tal utilização, é necessário realizar uma análise tarifária da sua conta de energia.


Thiago Vinícius Macegoza.




20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo